© Cláudia Lancaster

10ª Edição Verão Azul – 2021

10 é um número redondo que pode ser explosivo. Chegamos à 10ª edição, depois de um período frágil para a sociedade.

Este ano apostamos na criação nacional para falarmos sobre ambiente, direitos humanos, igualdade e precariedade. Alex Cassal recria um possível apocalipse para provocar encontros íntimos numa biblioteca; Pauliana Valente Pimentel propõe uma visita ao modo de viver das comunidades ciganas de Loulé e Faro; Miguel Bonneville relaciona a matemática com o corpo e sua potência erótica; o grupo catalão ZA! olha a região e seus vícios laborais contemporâneos numa encomenda de um divertido concerto-percurso e terminamos com uma festa de encerramento com Black Bambi. Todos artistas que acompanhamos e apoiámos em 2020.

Mas também olhamos para os mais jovens e propomos visões sobre a humanidade pela mão de António Jorge Gonçalves e LBC Soldjah; ou a quase completa compilação de Histórias Magnéticas de Sérgio Pelágio, com uma seleção sobre aquelas que falam de ambiente, democracia e sonhos.

Não esquecemos os artistas locais e apresentamos 3 novas criações ou recriações por parte de Carolina Cantinho & António Guerreiro, João Caiano & Martim Santos e José Jesus & Flávio Martins.

E continuamos a convidar as pessoas a olhar para o papel social da arte através do filme-desilusão de Luciana Fina, que pretende provocar um debate sobre o ambiente, ou da Galeria de Arte Ambulante, que expõe a precariedade dos artistas num velho Mercedes-Benz que propõe uma discussão à volta das suas obras de arte e interacção por parte dos espectadores.

E teremos conversas, debates e workshops que façam com que todos pensem a importância de vivermos sem explodir!

Tick Tack Tick Tack