FERNANDO J. RIBEIRO – Untitled (Take Me to the River)

(...)

(…)

Untitled (Take Me to the River) aborda o hiato produzido nas relações interpessoais desenvolvidas no seio das paisagens mediáticas e, especificamente, no âmbito da cibernautica.

Take Me coloca em confronto a virtualidade de contatos estabelecidos via net, com uma matéria corporal expectante e permeável a enlaces iminentes. A hipótese da concretização da dimensão afectiva passa – assim e sempre – pela seleção prévia de interfaces culturais e tecnológicos, mas cuja evanescência dilua as fronteiras e a conduza to the River.

Criação e Interpretação – Fernando J. Ribeiro

Estudou Pintura e Escultura nas Faculdades de Belas-Artes de Lisboa e Porto, especializando-se nas áreas da instalação, escultura e performance.

A título individual realizou, entre outras: Close-up (Espaço Alcântara, Porto, 2012), Tell Me My Name (Projecto Contentores, Docas de Alcântara, Lisboa, 2010), Blind Date (Galeria Caroline Pagès, Lisboa, 2010), Horizonte e outros brilhos (Galeria Presença, Porto, 2009), Untitled: Neons and Chanel (Espaço A Certain Lack of Coherence, Porto, 2009), Todos os Desejos em Saldos (Galeria Monumental, Lisboa, 2004).

Das mostras colectivas que integrou destacam-se: MONO (a propósito do grupo GICAPC / CORES CAPC 1976 / 1978 – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Coimbra, 2010), Invasões Contemporâneas: Arte nas Comemorações do Bicentenário das Linhas de Torres (Vila Franca de Xira, 2010, Toxic) e O discurso do Excesso (Angar K7, Fundição de Oeiras, Oeiras, 2005).

Representado em diversas galerias e colecções particulares e no Museu de Serralves (Colecção Ivo Martins).