© Louise Devillers (Indie Sales Company)

CLÉMENT COGITORE – Braguino

Cineclube Faro - Auditório IPDJ / Ter 22 OUT 21h30

DOCUMENTÁRIO / 2017 / 50' / M12 / Gratuito
Legendado em EN

No meio da taiga Siberiana, a 450 milhas da aldeia mais próxima vivem duas famílias: os Braguine e os Kiline. Não há uma única estrada que passe por ali. A única forma de chegar a Braguino é através de uma longa viagem no rio Yenisei, primeiro de barco, depois de helicóptero.
Auto-suficientes, ambas as famílias vivem de acordo com as suas próprias regras e princípios. No meio da aldeia: uma barreira. As duas famílias recusam falar uma com a outra. No rio há uma ilha, onde uma outra comunidade está a ser construída: a das crianças. Livres, imprevisíveis, selvagens.
Resultado do medo do outro, de animais selvagens, e da alegria obtida da imensidade da floresta, desvenda-se um conto cruel no qual tensões e medo dão forma à geografia de um conflito ancestral.


Festivais & Prémios:
FIC Valdivia – Menção Especial do Júri
San Sebastian Zabaltegi
FID Marseille – Menção Especial do Júri

Realização: Clement Cogitore
Produção: Cédric Bonin for Seppia
Co-Produção: Making Movies Oy
Fotografia: Sylvain Verdet
Montagem: Pauline Gaillard
Desenho de Som: Julien Ngo Trong, Franck Rivolet
Musica: Éric Bentz

Clément Cogitore (1983, Colmar) desenvolveu a sua prática artística algures entre o Cinema e a Arte Contemporânea. Combinando filme, vídeo, instalações e fotografias, Cogitore questiona as modalidades da co-habitação entre a humanidade e as suas próprias imagens e representações.
O trabalho de Cogitore tem sido exibido e exposto, entre outros, no Palais de Tokyo, Centre Georges Pompidou (Paris), ICA (Londres), Haus del Kulturen der Welt (Berlim), MACRO (Roma), MoMA (Nova Iorque), MNBA (Quebeque), SeMA Bunker (Seul), Red Brick Art Museum (Pequim), Kunsthaus (Basel). As suas peças cinematográficas têm vindo a ser seleccionadas e premiadas em numerosos festivais internacionais (Cannes, Locarno, Telluride, Los Angeles, San Sebastian).