© Pauliana Valente Pimentel

NUNO LUCAS – Eu Cá, Tu Lá

RESIDÊNCIA DE CRIAÇÃO
4 > 11 DEZ
Convento do Espírito Santo, Loulé

CONVERSA ABERTA / MOMENTO PÚBLICO
Data, local e horário a definir

Quando aprendemos a nossa língua materna, construímos uma matriz que nos fica para sempre, que nos ajuda a estruturar o nosso pensamento e o modo como nos expressamos com o mundo que nos rodeia.
Uma nova língua representa assim um novo lugar, é uma oportunidade para pôr tudo em causa. Os novos sons e novas emoções de outras línguas e de outras culturas obrigam-nos a reaprender a escutar. Por isso aprender uma nova língua é aumentar a nossa capacidade de ver o mundo.

Usando como ponto de partida a aprendizagem de uma nova língua, Nuno Lucas acredita que, nesse gesto, todas as dificuldades inerentes – o engasgar, a dificuldade em articular, o embaraço, a frustração do quer falar sem se saber, o saber o que se quer dizer mas não como o dizer, a alegria de se fazer entender – expressam muitas das questões que quer trabalhar.

Eu Cá, Tu Lá é uma peça de iniciação à escuta. Uma escuta do outro, sobre a nossa dificuldade em nos expressarmos, mas também sobre a necessidade de reaprender sobretudo o que achamos já conhecer.
Esta é a primeira residência desta criação. Ainda numa fase de investigação, Nuno Lucas pensa a linguagem dos mais jovens e integra as especificidades linguísticas regionais para reflectir sobre o significado da mesma na sua peça final.


Criação e investigação: Nuno Lucas
Dramaturgia: Joris Lacoste
Interpretação: dois intérpretes a definir
Produção: O Rumo do Fumo
Co-produção: Lu.ca – Teatro Luís de Camões, casaBranca AC – Festival Verão Azul / Cine-Teatro Louletano

Nuno Lucas nasceu em Portugal em 1980.
Actualmente vive entre Paris, Lisboa e Seoul. Trabalha como coreógrafo, performer e professor.

Começou a revelar aptidão para a comédia aos 5 anos. Estudou guitarra e voz no Conservatório de Música. Estreou-se como intérprete com o coreógrafo Miguel Pereira no Teatro Nacional D. Maria II em 2001. Em 2003 é convidado por João Fiadeiro para conceber os seus primeiros esboços coreográficos no LAB10. Licencia-se em Economia na Universidade Nova de Lisboa em 2004.

A solo criou I Could Write a Song (2015 – Théâtre de Vanves, França). Em colaboração, criou com: Hermann Heisig Pongo Land (2008 – Théâtre L’usine, Suíça) e What comes up, must go up (2009 – Festival Tanz im August, Alemanha); com Márcia Lança Trompe le Monde (2010 – Culturgest) e Por esse Mundo Fora (2016 – Teatro Maria Matos); com Pieter Ampe, Gui Garrido & Hermann Heisig coming community (2012 – Kunstenfestivaldesarts).

Apresentou o seu trabalho na Europa, Argentina e Coreia do Sul.
Como intérprete destaca o trabalho com: Miguel Pereira, Joris Lacoste, Rita Natálio, Ivana Müller, Mala Voadora e Encyclopédie de la Parole.
Na sua formação foram determinantes os cursos de Pesquisa e Criação Coreográfica no Fórum Dança e ex.e.r.ce no CCN.Montpellier, sob a direcção de Mathilde Monnier e Xavier le Roy, onde foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.
Lecciona regularmente composição / performance em vários países, para adultos assim como para crianças.
Desde 2017 é artista apoiado pela estrutura O Rumo do Fumo.